COTIDIANO DO TRABALHO NA ROTA FLUVIAL ENTRE BUENOS AIRES E CORUMBÁ (BRASIL) – DE 1910 A 1930

Vitor Wagner Neto de Oliveira

DOI: https://doi.org/10.32997/2382-4794-vol.4-num.4-2012-689

Resumen

Neste artigo busco entender como se dava o trabalho dos tripulantes de navios que faziam a ligação entre Corumbá, cidade da fronteira oeste do Brasil, no estado do Mato Grosso, e o porto de Buenos Aires (Argentina), passando por Assunção (Paraguai) e Montevidéu (Uruguai). Optando pela narrativa histórica, minha pretensão é apresentar a singularidade do mundo do trabalho marítimo, destacando os seguintes aspectos: a diversidade étnica presente no espaço limitado do navio; a interação dos trabalhadores com a hierarquia de mando e obediência; os conflitos a bordo e as formas de solução; o alcance que as leis da terra tinham nesse mundo; por fim, o ritmo do trabalho ditado pelo ritmo da máquina.  


Palabras clave

marítimos; Bacia Platina; mundos do trabalho;

Texto completo:

PDF

Referencias

Fuentes secundarias: libros, tesis y artículo.

“Todas as montanhas atlânticas estremeceram”, em Revista Brasileira de História No. 6, São Paulo, ANPUH, 1983, pp. 7-46.

Álvaro Pereira do Nascimento, Do convés ao porto: a experiência dos marinheiros e a revolta de 1910, Tese de doutorado em História Social, Instituto de Filosofia e Ciências Humanas, Campinas, UNICAMP, 2002.

Cláudio Henrique de Moraes Batalha, Fernando Teixeira da Silva, Alexandre Fortes, Cultura de clase, Campinas, Editora UNICAMP, 2004.

Eduardo Xavier em Angela de Castro Gomes (coords.), Dora Rocha Flaksman, Eduardo Stotz. Velhos militantes: depoimentos, Rio de Janeiro, Jorge Zahar Editor, 1988.

Fernand Braudel, O Mediterrânio e o mundo mediterrânico na época de Filipe II, vol. I. Lisboa, Martins Fontes, 1983.

Joseph Conrad, A linha de sombra: uma confissão, Rio de Janeiro, O Globo; São Paulo, Folha de São Paulo, 2003.

Juan Antonio Varese, De naufrágios y leyendas en las costas de Rocha, Montevideo, Aguilar, 1998.

Maria do Carmo Brazil Gomes da Silva, Rio Paraguai: O ‘mar interno’ brasileiro. Uma contribuição para o estudo dos caminhos fluviais, São Paulo, Tese de doutorado em História, Faculdade de Filosofia e Ciências Humanas USP, 1999.

Michel de Certeau, A invenção do cotidiano: 1. Artes de fazer, Petrópolis, Vozes, 1994, p.193-194.

Myriam Bahia Lopes, Práticas médico-sanitárias e remodelação urbana na cidade do Rio de Janeiro, 1890-1920, Campinas, Tese de doutorado em História, Instituto de Felosofia e Ciências Humanas, UNICAMP, 1988.

Vitor Wagner Neto de Oliveira, Nas águas do Prata: os trabalhadores da rota fluvial entre Buenos Aires e Corumbá (1910-1930), Campinas-SP, Editora da UNICAMP, 2009.

Fuentes primarias

Biblioteca Nacional, Brasil (BNB) e Alfandega de Corumbá, Entrada de navios. 1915-1916 – Instituto Luiz de Albuquerque, Brasil (ILA).

Capitania de Mato Grosso, II Livro de matricula – pessoal. 1908 –Serviço de Documentação da Marinha, Rio de Janeiro (SDM).

Consulado Geral do Brasil em Assumpção, Acta de deliberação. Rebocador nacional Norte América vol. 11, 4 de maio de 1919, estante 609, prateleira 3, (AHI).

Consulado Geral do Brasil em Buenos Aires, Protesto do Capitão de Longo Curso, Jacinto Doria Cardozo, Comandante do Vapor Nacional Maceió, aportado em Buenos Aires. 1o de maio de 1918, pp.16 e 19. Termos. Contractos mercantis, protestos de arribadas e avarias 1913 – 1921. 180-E, estante 242, prateleira 3, volume 14 (AHI). Assinaram o protesto do capitão, como testemunha, somente os oficiais de bordo (1o e 3os pilotos e comissário) e dois taifeiros.

Consulado Geral dos E. U. Do Brasil. A S. Ex. o Sr.Dr. José Manoel de Azevedo Marques, Ministro de Estado das Relações Exteriores. Assunção, 27 de novembro de 1919, (cópia). Ofícios julho de 1918 a 1919, estante 238, prateleira 4, volume 4 (AHI).

Consulado Geral dos E. U. do Brasil. A S.Ex. o Senhor Dr. Domicio da Gama, Ministro de Estado das Relações Exteriores. Assumpção, 20 de dezembro de 1918. Ofícios Julho de 1918 a 1919, estante 238, prateleira 4, volume 4 – Arquivo Histórico do Itamaraty (AHI).

Consulado Geral dos E. U. do Brasil. A S.Ex. o Senhor Dr. Domicio da Gama, Ministro de Estado das Relações Exteriores. Assunção, [ilegível] de dezembro de 1918. Ofícios julho de 1918 a 1919,

estante 238, prateleira 4, volume 4 (AHI).

Decreto No. 10.798, de 11 de março de 1914, instituiu novo Regulamento à Inspetoria de Portos e Costas, subordinando esta ao Ministério da Marinha. Brasil, Ministério da Marinha, Relatório

apresentado ao Presidente da Republica dos Estados Unidos do Brasil. Ministro do Estado dos Negócios da Marinha Alexandrino Faria de Alencar, Rio de Janeiro, Imprensa Naval, abril de 1914.

Decreto No. 12.188, de 6 de setembro de 1916, “Dá regulamento provisório para instrução e aproveitamento da Reserva Naval”. Brasil, Ministério da Marinha, Relatório apresentado ao Presidente

da Republica dos Estados Unidos do Brasil. Ministro do Estado dos Negócios da Marinha Alexandrino Faria de Alencar, Rio de Janeiro, Imprensa Naval, abril de 1917. wwwcrl-jukebox.uchicago.edu/bsd/–UCHICAGO.

Decreto No. 539, de 9 de fevereiro de 1917 (anexo), p. 88 – Centro de Documentação e Apoio a Pesquisa, Brasil (CEDAP-Unesp).

El Diario, Assunção, 14 de fevereiro de 1910 Etcheverry. Alberto Etcheverry. Señor Comandante, (manuscrito, 3 p.) – Centro de Maquinistas Navales, Montevidéu (CMN).

La Aurora del Marino. Órgano de la Sección Marineros y Contramaestres, Buenos Aires, 1º de Maio de 1925, No. extrordinario, p. 1 - (Je/0164) – Arquivo Edgard Leuenroth, Brasil (AEL)

La Unión del Marino, Buenos Aires, ano [ilegível], No. 54, agosto de 1919, p. 3– Biblioteca del Congreso, Buenos Aires (BCA).

Ministério da Viação e Obras Publicas, Noticia histórica e avaliação dos bens do Lloyd Brasileiro (patrimônio nacional). Relatório da Commissão do Patrimônio, Rio de Janeiro, Empreza Brasil Editora, novembro de 1922

República Oriental del Uruguay, Policía de Investigaciones, Informaciones reservadas. Montevideo, febrero 6 de 1919 (mimeo), AVS. Documentos relacionados con la Policía de Investigaciones, 1918-1919, caja 218, carpeta 16 – Archivo General de la Nación, Montevidéu (AGN).

São José, a sua Senhoria Sr.Carlos Ferreira de Araujo, Consul Geral dos Estados Unidos do Brasil em Assumpção, 13 de outubro de 1919. Consulado em Assunção. Correspondência Recebida.

Firmas e particulares. Cartas, 1918–1921, estante 608, prateleira 1, volume 19 (AHI).

Sociedade dos Marinheiros Unidos da Marinha Mercante, Estatutos, Corumbá, Typografa do Commercio – Biblioteca Valmir e Lúcia Corrêa (particular), Campo Grande, Brasil (BVLC).

Vice Consulado dos E. U. do Brazil, ao Exmo. Snr. Dr: Olyntho de Magalhães Ministro de Estado das Relações Exteriores, Assumpção, 20 de fevereiro de 1900. Repartições Consulares Brasileiras, Ofícios reservados 1900–1903, estante 238, prateleira 3, volume 12 (AHI).


Enlaces refback

  • No hay ningún enlace refback.