TRABALHO E CULTURA NA CIDADE PORTUÁRIA DE SANTOS (BRASIL), 1890-1920

Fernando Teixeira da Silva, Maria Lucia Caira Gitahy

DOI: https://doi.org/10.32997/2382-4794-vol.4-num.4-2012-686

Resumen

Este artigo analisa o conflicto se desenvoveu entre os trabalhadores do porto de Santos (Brasil) sobre o controle da oferta de trabalho. Ele argumenta que as características do trabalho, pouca mecanização, intermitência da carga e mobilidade dos estivadores em várias ocupações, eles controlam o mercado de trabalho, o eixo central do conflito encenado no porto durante a primera metade do século XX. Ele también mostra os esfuerços do Estado e os empregadores para arrancar o controle dos trabalhadores que conseguiram establecer na oferta de trabalho.


Palabras clave

trabalhadores do porto;oferta de trabalho; conflito; Estado;

Texto completo:

PDF

Referencias

“Memórias de Severino Gonçalvez Antunha”, Santos, junho de 1968; Edgar Rodrigues, Nacionalismo e cultura social, 1913-1922, Rio de Janeiro, Laemmerts, s.d., p. 361.

Barbara Weinstein, (Re)formação da classe trabalhadora no Brasil (1920-1964), São Paulo, Cortez, CDAPH-IFAN/Universidade São Francisco, 2000.

Candido Malta Campos Neto, “Os rumos da cidade: urbanismo e modernização em São Paulo”, São Paulo, FAU/USP, 1999 (tese de doutoramento);

Carlos Roberto Monteiro de Andrade, “A cidade como um corpo são e belo” in Cidade e História, Salvador, ANPUR, 1992, pp. 77-81.

Carlos Roberto Monteiro de Andrade, “O plano de Saturnino de Brito para Santos e a construção da cidade moderna”, en Espaço e Debates No. 34, São Paulo, NERU, 1991, p. 63.

Coraly Gará Caetano, Desvendando mistérios: Roberto Simonsen e a luta de classes, IFCH/Unicamp, 1994 (tese de doutorado).

Cristina de Campos, Ferrovias e Saneamento em São Paulo. O Engenheiro Antonio Francisco de Paula Souza e a construção da rede de infra-estrutura territorial e urbana paulista, 1870-1893, São Paulo, FAU/USP, 2007 (tese de doutoramento) .

Fernando Teixeira da Silva e Maria Lucia C. Gitahy, “O movimento operário da construção civil santista durante a Primeira Guerra Mundial, 1914-1918”, em História Social No. 3, IFCH/UNICAMP, 1996;

__________, Operários sem patrões: os trabalhadores da cidade de Santos no entreguerras, Campinas, Ed. da Unicamp, 2003, capítulos 1 e 2;

Gordon Phillips e Noel Whiteside, Casual labour: the unemployment question in the port transport indutustry (1880-1970), Oxford, Clarendon Press, 1985, p. 271.

Guilherme Álvaro, A Campanha Sanitária de Santos. Suas causas e seus efeitos, São Paulo, Serviço Sanitário do Estado de São Paulo/Casa Duprat, 1919, p. 11.

Howard Kimeldorf, Reds or rackets? The making of radical and conservative unions on the waterfront, California, University of California Press, 1988.

João Freire, Anarquistas e operários. Ideologia, ofício e práticas sociais: anarquismo e o operariado em Portugal, 1900-1940, Porto, Afrontamento, 1992, pp. 87-89.

John D. French, O ABC dos operários: conflitos e alianças de classe em São Paulo, 1900-1950, São Paulo, Hucitec/São Caetano do Sul/Prefeitura de São Caetano do Sul, 1995, p. 69

José Murilo Carvalho, A Escola de Minas de Ouro Preto: o peso da glória, São Paulo, Editora Nacional/FINEP, 1978

Luiz Antonio Cunha, A universidade temporã, Rio de Janeiro, Civilização Brasileira, 1980;

Luiz Augusto Maia Costa, O ideário urbano paulista na virada do século. O engenheiro Theodoro Sampaio e as questões territoriais e urbanas modernas (1886-1903), São Carlos-São Paulo, RiMa/

FAPESP, 2003.

__________,“O moderno planejamento territorial e urbano em São Paulo. A presença norteamericana do debate da formação do pensamento urbanístico paulista, 1886-1919”, São Paulo, FAU/USP, 2005 (tese de doutoramento);

M. L. Gitahy, Ventos do mar; “Os trabalhadores da construção civil na belle époque.” II Congresso Brasileiro de História Econômica, UFF, Niterói, 13-16 de outubro de 1996.

Marcel van der Linden e Wayne Thorpe, “Essor et déclin du sindicalisme révolutionaire”, en Le Mouvement Social No. 159, abril-junio, 1992.

Maria Carolina Mazeviero, Memória e Identidade Urbana em Santos: usos e preservação de

tipologias arquitetônicas da Avenida Conselheiro Nébias, São Paulo, FAU/USP, 2008 (dissertação de mestrado), pp. 46-47.

Maria Cecília Loschiavo Santos, Escola Politécnica (1884-1984), São Paulo, EPUSP, 1985.

Maria Irene Szmrecsányi, “Rio e São Paulo” em Revista USP No. 17, São Paulo, 1993, pp. 202-219.

Maria Lucia Caira Gitahy (org.), Desenhando a Cidade do Século XX, São Carlos, RiMa/FAPESP, 2005.

__________, Ventos do mar: trabalhadores do porto, movimento operário e cultura urbana em Santos, 1889-1914, São Paulo-Santos, Editora da Unesp/Prefeitura Municipal de Santos, 1992,

p. 41.

__________,”Qualificação e Urbanização em São Paulo: a experiência do Liceu de Artes e Ofícios, 1873-1934” em Maria Alice Rosa Ribeiro (org.), Trabalhadores Urbanos e Ensino Profissional, Campinas, UNICAMP, 1986.

Milton Vargas, “Obras de saneamento (abastecimento de água, esgotos e recuperação de terras) in Shozo Motoyama (org.), Tecnologia e industrialização no Brasil, São Paulo, UNESP/CEETEPS, 1994, p. 93.

Paulo Cesar Xavier Pereira, Espaço, técnica e construção, São Paulo, Nobel, 1988.

Roberto Simonsen, À margem da profissão: discursos, conferências, publicações, São Paulo, São Paulo Editora, 1932, p. 157.

Sheldon Leslie Maram, Anarquistas, imigrantes e o movimento operário brasileiro, 1890-1920, Rio de Janeiro, Paz e Terra, 1979, pp. 51-52.

Sidney Piochi Bernardini, Os planos da cidade: as políticas de intervenção urbana em Santos de Estevan Fuertes a Saturnino de Brito, São Carlos/São Paulo, RiMa/FAPESP, 2006.

__________, “Construindo Infra-estruturas, planejando territórios: A Secretaria de Agricultura, comércio e Obras Públicas do Governo Estadual Paulista”, São Paulo, FAU/USP, 2007 (tese de doutoramento).

Sylvia Fischer, “Ensino e profissão: o curso de engenheiros-arquitetos da Escola Politécnica de São Paulo”, São Paulo, FFLCH/Departamento de História, USP, 1989 (tese de doutorado)

__________, Ensino e profissão: o curso de engenheiros-arquitetos da Escola Politécnica de São Paulo, São Paulo, FFLCH/Departamento de História/USP, 1989 (tese de doutorado).

Tânia de Luca, O sonho do futuro assegurado: o mutualismo em São Paulo, São Paulo, Contexto, 1990, p. 20.

Wilson Roberto Gambetta, “Desacumular a pobreza: Santos no limiar do século”, em Espaço e Debates No. 11, São Paulo, NERU, 1984, p. 17.


Enlaces refback

  • No hay ningún enlace refback.